POEMA "AS MORTES", COM TANUSSI CARDOSO

O poema "As Mortes", de minha autoria, foi gravado no evento POESIA NO SESI, organização de Claufe Rodrigues e Monica Montone, por DANIEL TRINDADE. Assistam no link abaixo.

http://www.youtube.com/watch?v=xVIvBn0DdmU

AMOR E AMIZADE: DOIS LADOS, por SANDRA BERNARDO

É mesmo lamentável a quantidade de vezes que nos enganamos.
Pode-se conviver um tempo com uma pessoa, achar que já sabe mais ou menos o que se pode esperar dela e a pessoa vem e nos surpreende!
Às vezes nos surpreendemos de uma forma tão absurdamente incompreensível, que a chateação passa a ser pessoal, e vem logo a frase:
"Como eu não vi que (ela ou ele) poderia fazer isso comigo? Como me fiz cega? Por quê? Qual o momento da relação que eu passei a confiar tanto no outro, que me desrespeitei terrivelmente?"

A briga agora é interna, a pessoa que criou o caos, já não tem a menor importância, a máscara caiu! Já se mostrou! Às vezes interesseira, desonesta, perversa, irônica, egoísta, articuladora, traidora, ingrata... e até mesmo imatura!
Enfim a pessoa surpreende por tantas atribuições que fica difícil tentar entender! É melhor se ocupar com as questões internas, das permissões, da falta de auto-estima, da falta de amor próprio!
Não vou ficar aqui apontando as mazelas que alimentam (infelizmente) as nossas realidades.
Existe como tudo na vida o outro lado.
O lado bom e gostoso daquelas pessoas que nos surpreendem com um chocolate, naquele momento que se precisa adoçar o dia!
Aquele amigo do peito que te dá uma viagem, um instrumento, um toque bom numa conversa corriqueira. Um e-mail de reconhecimento e carinho de alguém da família, até mesmo um elogio que te põe pra cima, de uma pessoa que te vê pela primeira vez.
Aquele amor que vive com você e ao chegar em casa, com a elegância de um primeiro encontro, convida para um cineminha. Ou num momento romântico oferece uma música pra marcar aquele momento especial. E até mesmo aquele que se dispõe a não beber pra dirigir o carro.
Temos essas duas formas de marcar a vida das pessoas (afeto/desafeto). Podemos entrar na vida de alguém e ao sair (que é conseqüência natural da vida) fica aquela lembrança boa e cheia de saudade. Como também se pode deixar o veneno da tristeza e da covardia.
Basta escolher!
Sandra Bernardo, cantora, compositora e filósofa

Buscar

 
TANUSSI CARDOSO POETA ETC Copyright © 2011 | Tema diseñado por: compartidisimo | Con la tecnología de: Blogger